terça-feira, novembro 18, 2008

Cidades


Cada cidade tem seu modo de ser, de se vestir, de se comportar. São Paulo não poderia ser diferente. Suas cores particulares e desordenadas tingem a feiúra aparente da cidade, transformando nada em moda e moda em nada.

A simbiose de tendências aqui não acontece. Falta ainda informação de moda para isso. Espero ainda me deparar com uma menina correndo com uma legging da H&M sob uma replica de um Balenciaga estruturado, que ela comprou na Moonson. Ainda falta, ainda falta...

Mas já é possível ver cores e formatos diferentes entrando no guarda-roupa das pessoas: estampas “pensadas” (não aquelas com motivos africanos ou florais) já aparecem nas roupas das pessoas, formatos como assimetrias, balones e envelopes também dão o ar da graça ora aqui ora ali.

Por incrível que pareça, no masculino, as novidades aparecem com mais freqüência. No entanto, terno com havaianas, hit do verão europeu, nunca deve chegar aqui.

Não sei de onde essa informação de moda vem, pois as revistas masculinas não são nada muito fashion por aqui, são mais conservadoras, ainda que bem eficiente na informação que passam. Bom trabalho, mas sisudo, com uma criatividade ditada pelo comercial, que ainda é muito conservador.

São Paulo é uma babel arquitetônica e aos poucos está virando uma babel fashion, tímidamente caminhando, mas constantemente. Que o futuro venha...

Um comentário:

Marcus Vinicius disse...

eu gosto da hering...

LinkWithin

Blog Widget by LinkWithin